Gota d’água


O olhar fugidio às vinte e três e cinquenta e nove do dia trinta e um de dezembro dentro do barco em pleno Rio Negro, um email não respondido, o bom-dia que ficou no ar e acabou levado pelo vento apressado do inverno, um comentário sobre os filhos que não você não merece ter, sobre tudo que não merece, um sorriso amarelo, o silêncio durante o jantar, tempo esticado sob o vazio dos pratos, um abraço frouxo, a mão que contrai ao tocar a outra, em espasmo, os ouvidos alheios, o muxoxo que concorda sem ouvir, a data esquecida, uma hesitação qualquer, a palavra recolhida porque não vale a pena, a palavra que fere só por ferir, o desejo encabulado, a roupa nova que não se repara, o cabelo novo pedindo atenção, olha isso, já vou, e não vai, amanhã talvez, depois de amanhã, eu vejo, no fim de semana, quando tudo estiver mais, ou depois, depois do banho, depois do almoço, depois do trabalho, quando tudo estiver mais, ou depois, um elogio que morre antes do fonema, a mensagem apagada porque não, um melindre, um rancor, palavrão, o telefone que toca, e toca, e toca, e toca, o nome vibrando na tela, agora não, não dá, uma carícia vacilante, choro sem alento, beijo indeciso, eu te amo, hein?, eu te amo, um carinho pintado de guache, o café só pra um, sim, sim, mas no fundo não, pode ser, cê que sabe, a porta que bate, do nada, amanhã talvez, no fim de semana, quando tudo estiver mais, ou depois, talvez, uma alegria egoísta, de fruta passada, acidez de cajá, a música que toca, no rádio, no carro, no consultório do médico, na festa de sábado, na cabeça, insônia, no avião, às sete e dezoito, sem atraso, bom voo, chegou bem?, aproveita, a viagem, pra dentro, bem dentro, de si, quando volta, o afago, a ofensa, uma vez, e mais uma vez, faca só lâmina, sob a conversa, a mesa, a cama, sob, sob, o rosto escondido, girassol murcho, seco, largado, no canto da sala, um recado, cartão, não escrito, não lido, não entregue, amanhã, talvez, depois, mês que vem, pro ano, certeza, e de novo, a mágoa, intacta, gelada, a febre, na camisa, lençol, coberta, o suor, o senão, assim, assado, sempre, sem conserto, a palavra que falta, por um segundo, só um segundo.


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *